Aprenda como calcular o preço de venda

Simples Nacional

Como calcular seu preço de venda

 

Como calcular o seu preço por venda

Preço por venda

Ter um produto ou serviço de qualidade é mais do que a metade do caminho para o sucesso de uma empresa. No entanto, o preço é um importante item que faz toda a diferença na forma como a empresa é vista ou mesmo é recompensada por seus esforços.

 

Um erro muito comum dos empreendedores é não saber determinar um preço justo para seus produtos. Se você também tem essa dúvida, não se preocupe, pois nós explicaremos em detalhes como calcular seu preço de venda. Confira esse post até o final para aprender como você deve fazer isso.

Conhecendo os custos

Antes de determinar o preço final de um produto ou serviço, é importante ter em mente quais são os reais custos com a fabricação, deslocamento, entre outras características relacionadas ao seu negócio. Esse conhecimento é extremamente importante para definir um preço justo para seus clientes.

 

Sabendo dos custos, você poderá calcular uma margem de lucro para a empresa que compense a realização do trabalho de uma forma justa para seus clientes. Além disso, o preço final deve pagar os custos gerados com a realização do produto ou serviço, de modo que exista ainda um percentual de lucro em cima de cada comercialização.

 

Custos do produto ou serviço

Como calcular o seu preço por venda

A definição de custos é todo esforço gasto para que um produto ou serviço seja entregue ao cliente. Sendo assim, todas as partes do processo como fabricação, entrega, transporte e armazenamento, são chamados de custos.

 

A comercialização de produtos e serviços, possuem duas modalidades de custos que devem ser consideradas na hora de planejar o preço de venda. Isso porque em toda empresa há despesas variáveis e despesas fixas, o que corresponde a uma série de custos importantes.

Despesas variáveis

 

As despesas variáveis são todos aqueles custos que podem existir em alguns meses e sumir em outros, como, por exemplo, a manutenção de equipamentos. Vamos supor que em um determinado mês, uma máquina responsável pela fabricação quebrou. Sendo assim, você como empreendedor teve que pagar pelo conserto dessa máquina para voltar com as operações normais da empresa. Esse custo é variável, pois ele poderá ou não surgir novamente nos meses seguintes.

 

Além desse exemplo de despesa, outros custos que entram para a categoria de despesas variáveis são:

 

  • Percentual de quebras ou desperdício de produto;
  • Manutenção;
  • Aquisição de novos itens operacionais;
  • Entre outros.

Despesas fixas

Já no caso das despesas fixas, o próprio nome já diz. Essas despesas são caracterizadas por todos os custos que a empresa gera de forma fixa em um ano. Nesse caso, são consideradas despesas fixas os custos que ocorrem todos os meses, mesmo que os valores dessas despesas variem ao longo dos meses. As despesas fixas são:

 

  • Pagamento de impostos;
  • Custo com armazenamento;
  • Custo com administração;
  • Custo com folha de pagamento;
  • Custo com marketing;
  • Custo com a produção de produtos;
  • Entre outros.

Margem de lucro

Além de todos os custos envolvidos com a produção e prestação de serviço da empresa, é necessário incluir a margem de lucro no preço de venda. Mas como definir uma margem de lucro justa tanto para o cliente quanto para a empresa? É o que você deve estar se perguntando agora. Nesse caso, vamos a alguns conceitos sobre margem e lucro:

 

  • Margem bruta: esse tipo de índice de rentabilidade incide unicamente na porcentagem de lucro que a empresa arrecada a cada venda. Nesse conceito, se você vende um produto a R$ 40, mas gasta R$ 20, isso significa que a sua margem de lucro sobre esse produto é de R$ 20.

 

  • Margem líquida: no conceito de margem líquida a rentabilidade é analisada considerando apenas os valores que entram como receita na empresa. Nesse caso, o índice de rentabilidade incide apenas quando todos os impostos e despesas já foram pagos.

 

  • Margem de contribuição: esse outro índice mede como a rentabilidade de uma empresa acontece em um determinado período de tempo considerando todos os recursos gerados para o pagamento das despesas fixas. Nesse caso, o que importa é quanto a empresa deve gerar de recursos que seja o suficiente para pagar as despesas fixas e ainda proporcionar lucros.

O que é e para que serve o Markup

 

O Markup também é um tipo de índice, que nesse caso, se aplica apenas ao preço final de venda. Nessa modalidade de índice, o que importa são os custos do produto e a margem de lucro. O índice funciona como um multiplicador, onde a base de cálculo são os custos e a lucratividade esperada para a venda de cada produto ou serviço.

 

Podemos ainda definir que o Markup é um método de precificação que tem como base os custos e um percentual de lucro. Por ser mais simples, esse método é muito utilizado pelas empresas para identificar um preço final para cada produto ou serviço.

Como calcular o preço de venda

Para calcular o preço de venda de um produto ou serviço, é importante definir cada um dos pontos mencionados anteriormente, sendo eles: despesas variáveis, despesas fixas e margem de lucro. Considerando esses três fatores, você poderá escolher entre vários métodos de precificação o que melhor convém para os seus negócios.

 

Se você seguir com o conceito Markup, tudo que você precisará fazer será adicionar o percentual de lucro juntamente com os custos de cada produto ou serviço. O valor final será o seu preço de venda. Dessa forma você ainda pode aplicar o mesmo cálculo em mais de um produto. Por exemplo, se você tiver diferentes categorias de produtos, é possível utilizar o Markup para calcular o preço de venda de cada categoria.

 

Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos no Facebook. Aproveite também para descobrir quais são os sistemas de controle financeiro para a sua empresa.

Comentários Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field